28 de jul de 2008

Viva nós!

É com um pequeno atraso que gostaria de lembrar a todos que dia 25 de Julho (como toda última sexta-feira do mês de Julho!) foi comemorado o SysAdmin Day, ou Dia do Administrador de Sistemas!

Nós, profissionais judiados e esforçados, somente lembrados quando algo entra em pane (de preferência computadores, mas tem gente que pensa que ligou na tomada, é com T.I.), merecemos esse dia de reverência :)


16 de abr de 2008

Interoperabilidade

Palavra difícil, não? Para ser sincero, entrei na sala de uma palestra no Microsoft Directions 2008 (evento anual da Microsoft) interessado no tema "Governo Eletrônico" e a última palavra que esperava escutar era Linux.

Santa ignorância!

O palestrante, Fabio Cunha, disse enfaticamente que a Microsoft tem agora uma "nova percepção" e está engajada na tal interoperabilidade com sistemas Linux. Mais especificamente Suse Linux. Balela? Não sei. Nos foi dito que o maior laboratório de testes de sistemas operacionais Linux é o da Microsoft. Pois é! Difícil de acreditar. Ao final da palestra eu tive uma breve conversa com o Fabio Cunha na tentativa de entender um pouco mais dessa nova percepção, e ao comentar que utilizo Linux no dia-a-dia ele me perguntou muito rapidamente:

- "É Redhat? Porque se for, digo já para migrar para o Suse."

Não, muito obrigado. Utilizo Debian nos meus filhos... ahan... quero dizer servidores, e estou muito satisfeito por enquanto. Mas essa pergunta indica um esforço grandioso da Microsoft em ampliar a utilização do Suse. Futura aquisição? Na situação em que a Novell se encontra, não é impossível.

E por falar em interoperabilidade, meu próximo post será um tutorial rápido e completo para "interoperabilizar" o Debian Linux com o Active Directory. OK, OK, um tutorial para o Debian Linux autenticar no A.D. :-)


6 de jan de 2008

Especializando-se

A especialização é um grande desafio para os formados (ou não) na área de TI, especialmente para os profissionais afastados dos grandes centros de educação. Além de arcar com os custos do curso - que não são baratos - há a necessidade do transporte que na maioria dos casos eleva os custos em pelo menos 50%.

Outra preocupação é a escolha correta da especialização. Além dos caminhos tradicionais e comuns às outras profissões como as especializações latu senso, stricto sensu, mestrado e doutorado, temos à nossa disposição as certificações - títulos geralmente cedidos pelas empresas fornecedoras de produtos ou institutos organizados para esse fim que "garantem" os conhecimentos técnicos dos profissionais em determinadas áreas.

Existem certificações em diversas áreas, como infra-estrutura física, sistemas operacionais , bancos de dados e programação. Algumas das mais populares são as da Microsoft (programa MCP - Microsoft Certified Professional), Linux (com o LPI), Cisco (CCNA, CCNE) , Oracle DBA e ITIL. O investimento necessário é geralmente muito menor que o para realizar uma pós-graduação e geralmente oferecem melhor retorno. Para se obter uma certificação inicial Microsoft ou Linux não se gasta mais que R$ 1.500 e é um excelente diferencial na hora de se contratar ou oferecer serviços de TI. Para as empresas contratantes, a certificação é uma garantia que o profissional tenha os conhecimentos técnicos necessários na determinada tecnologia dentro de padrões estabelecidos mundialmente.




É possível também aos profissionais que se especializem dentro da certificação desejada, realizando provas cada vez mais aprofundadas e específicas. Na Microsoft, após obter a certificação MCP, é possível seguir em frente e obter certificações MCSA e finalmente MCSE (Microsoft Certificed System Administrator e System Engineer) e com o Linux hoje há as certificações LPI 1, 2 e 3, sendo possível comprovar o nível de especialização do profissional - porém o tempo de estudo e custos necessários crescem consideravelmente. Muitos optam por se certificar em diversas tecnologias ao invés de se especializarem muito em uma apenas, aumentando o leque de conhecimento.

Além de áreas essencialmente técnicas, há opções gerenciais de certificação como ITIL Foundation e COBIT , entre outros. São certificações que primam pelos conhecimentos gerenciais das áreas de TI e especialmente indicados para quem almeja cargos de liderança de equipes.

Há muitas escolhas, e todas devem ser realizadas em torno de um objetivo definido pelo profissional que envolva metas de carreira e pessoais.

Para saber mais: